Segunda-feira, 31 de Março de 2008

Wraygunn no Cinema Batalha [Reportagem BLITZ]



"No sábado, a sala na Invicta encheu para saudar o rock com sabor a aventura de banda de Coimbra.

Em plena digressão de Shangri-La por território luso, os Wraygunn encontraram no Cinema Batalha um cenário muito favorável para construírem o imaginário da banda: a sala do Cinema (cheia), na sua teatralidade e imponência, deu relevo especial ao que se foi passando em palco durante a noite. À terceira manifestação de vitalidade, a banda de Paulo Furtado terá conseguido o disco mais consistente de todos, mas não só: Shangri-La, pela sua diversidade, é um álbum que, mais do que nunca, permite aos Wraygunn explorar territórios e cenários distintos ao vivo. E é bastante óbvio que os Wraygunn nasceram para estar em cima de um palco.
A elasticidade de Shangri-La permitiu por exemplo aos Wraygunn o arranque com «Just A Gambling Man», lançando para o ar o mistério em vez do assalto rock que todos estariam à espera. Só depois, com a chegada de «Ain’t it Nice», se descobriu aos Wraygunn a cara e as intenções: rock sem apelo nem agravo, urgente, consciente das suas responsabilidades. Em cima de uma mesa ao fundo do palco há quase um bar montado que o confirma: whisky e copos para quem se quiser servir. Tudo era necessário para ajudar a cumprir a profecia: correr Shangri-La de uma ponta à outra, sem esquecer de passar pelos capítulos anteriores.
Do primeiro disco, Soul Jam, os Wraygunn tiraram o pó a «Ain’t Gonna Break My Soul», prova cabal das raízes que trouxeram a banda de Coimbra a este mundo. De Eclesiastes 1.11, saltou logo a seguir a oração «Keep On Prayin’». Ainda que o coro não tenha feito parte dos planos dos Wraygunn para este concerto, o gospel é presença obrigatória. E os blues, a soul, o sexo. «She’s A Go-Go Dancer», finalmente, cumpriu uma função especial: instalar na sala e no público um entusiasmo superior, alimentado pelo riff perigoso de Paulo Furtado e pelas vozes de Raquel Ralha e Selma Uamusse. Não foram poucas as vezes em que estas últimas estiveram em destaque: duos que não são duelos mas que soltaram faísca. E porque Paulo Furtado é o pior pesadelo dos roadies, não faltou o habitual passeio por entre o público e a escalada a pontos altos da sala. O rock assim obriga – e os Wraygunn cumprem sempre as suas obrigações."

André Gomes in BLITZ
Foto: D.R.

publicado por wraygunn às 21:45
link do post | comentar | favorito

links

pesquisar blog

 

Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

OBRIGADO, GRANDE LOBO.

WRAYGUNN NO PORTO!

WRAYGUNN no BARCO ROCK FE...

† LES PAUL

Concerto WRAYGUNN 26 Junh...

arquivos

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

Media Partner




Patrocinador Oficial da Tour


subscrever feeds